Neste segundo título da coleção Sereia de Vidro, Marcelo Antinori mais uma vez presenteia o leitor com uma estória saborosa através de um texto ágil e preciso.
Numa manhã qualquer, um corpo esquartejado é largado num carrinho de supermercado no marco zero de São Paulo, a Praça da Sé.
O crime não apenas atiça o apetite da imprensa, como enfurece Coutinho, o chefão do tráfico de drogas na região.
Casado com Luciana, porém mantendo um caso com Ana Pérsia, o narrador, protagonista da primeira estória da coleção, embrenha-se cada vez mais num mundo ao qual não pertence mas que, a cada passo que dá, participa de forma ativa. Entre as investigações da polícia, Carmen – o homem de seios do sebo de livros –, Dimitri, o violinista, os brutamontes comandados por Coutinho e Verônica, uma informante do crime organizado infiltrada na PM paulista, Os Crimes do Dançarino da Sé torna-se uma estória de leitura rápida e instigante a um preço convidativo.

Os Crimes do Dançarino da Sé é um livro sobre relacionamentos perigosos e ocultos, que não devem ser descobertos antes do momento certo e devem ser confessados para que haja um trabalho em equipe, do qual depende a felicidade do protagonista. Iniciando-se uma sequência de descobertas que estreitariam relações as quais jamais se esperou serem tão importantes com pessoas tão peculiares.

A coleção Sereia de vidro já conta com dois volumes:

1- Sereia de vidro (Murano vermelho em formato de sereia)
2- Os crimes do dançarino da Sé (Assassino misterioso)
3- Em breve um terceiro volume.

Para quem gosta de livros sobre mistérios e homens agindo como meninos perante a cenários não esperados, esta é a leitura ideal, pois o autor combina riqueza, mistérios e o centro da cidade, mostrando que antigas parcerias podem ser de grande valia além de necessárias para a felicidade de um casal contemporâneo.

O que mais me chamou atenção no livro foi o modo que o autor conectou os pontos que levaram uma simples traição aos crimes de um louco dançarino, fazendo com que a descoberta gerasse uma situação inusitada, mas necessária para o desfecho de uma infidelidade com pessoas perigosas. Além disso, o comportamento da Madame Heylel destoante de sua idade surpreendem qualquer leitor.

Em suma, é um livro muito bem escrito que envolve gostos e prazeres os quais não precisam ser expostos a todos, mas quando expostos e bem gerenciados podem trazer alívio e união dos envolvidos.

0 comentários:

Subscribe