21/05/2014

Branca de Neve - Os Contos Clássicos

Postado por Liliane Cristine |

Entre os diversos autores presentes na publicação organizada por Alexandre Callari estão, os irmãos Grimm, o aristocrata Giambattista Basile, os folcloristas Joseph Jacobs, Laura Gonzenbach, Thomas Frederick Crane e Ernst Ludwig Rochholz, o romancista Alexandre Pushkin, além de um conto do próprio Alexandre Callari, que deu via a sua própria Branca de Neve, recontando a história da bela de uma maneira peculiar. As histórias de cada autor se passam nas mais variadas regiões europeias e abordam diversos temas bem atuais e humanos como a inveja, ciúme, traição e mentira, algumas com uma pitada de romance, terror, suspense e até mesmo tragédia. Todos os contos presentes no livro vêm com um comentário e análises que visam o entendimento dos elementos que compõem suas origens, já que as narrativas contém um pouco do folclore de diversos países como a Itália, Alemanha, Suíça, Escócia, Rússia, entre outros locais. Além de incorporar sua própria história sobre a Branca de Neve, Alexandre Callari também comenta sobre as variações da história e da própria personagem ao longo de cada conto e cada versão, analisando também os filmes com a personagem, desde o primeiro lançado em 1902 até os que estão prestes a serem lançados.

Este é um livro que foge dos padrões infantis e a bela fantasia do conto de fadas da Disney. De forma mais crua e franca o autor explora através de variados autores os contos de Branca de Neve originais da época em que surgiu o conto.

O livro é dividido em 3 partes sendo a primeira parte composta por 7 contos; a segunda parte contempla a Branca de Neve na cultura contemporânea citando as suas versões realizadas para o cinema, teatro, pastiches (é definido como obra literária ou artística em que se imita abertamente o estilo de outros escritores, pintores, músicos, etc.) e histórias em quadrinhos (HQs); a terceira parte fecha com um conto inédito e muito bem escrito pelo autor Alexandre Callari.

Eu adorei os contos e o interessante é que a Branca de Neve e os Sete Anões são originalmente de um conto adulto do folclore oral europeu, que com o passar de boca a boca foi formando outras versões, mas sem perder a sua essência durante séculos. Mantendo assim a sua tradição mesmo antes de os irmãos Grimm terem registrado pela primeira vez.

Um detalhe que não posso deixar de mencionar foi o excelente trabalho da editora Generale demonstrando o enorme cuidado que a mesma teve em sua preparação, desde a capa, simplesmente linda... À sua diagramação perfeita deixando as páginas decoradas com suas bordas desenhadas, fotos na parte contemporânea sobre a Branca de Neve e ilustrações muito bonitas.

Em suma, o livro é uma excelente leitura para quem tem curiosidade e interesse em saber como eram os contos da Branca de Neve e Os Sete Anões nos tempos mais antigos, que impressionam pela criatividade do enredo além de nos fazer refletir sobre o modo de pensar de diferentes culturas e épocas que percorreu desde o século XVI na Europa.

Adorei conhecer mais afundo esse clássico e seria maravilhoso se o autor pudesse pesquisar e analisar outros contos da mesma forma que foi contemplado em a Branca de Neve e os Sete Anões.

***
CONHEÇA MELHOR OS AUTORES:

Irmãos Grimm foram dois alemães que se dedicaram ao registro de várias fábulas infantis, ganhando assim grande notoriedade. Também deram grandes contribuições à língua alemã com estudos de linguística e folclore.

Giambattista Basile foi erudito e aristocrata, talentoso narrador e observador atento da cultura popular, um verdadeiro mestre-construtor para a literatura italiana.

Joseph Jacobs foi um folclorista australiano que viveu na Inglaterra. Estudou o folclore do país coletando dados para publicar os Contos do Folclore Inglês em 1890, entre eles o mais famoso: Os Três Porquinhos. Contribuiu também com a Enciclopédia Judaica.  Suas outras obras incluem coleções de contos de fadas celtas, uma coleção de contos de fadas indianos, uma edição das fábulas de Esopo e um livro de viagens.

Laura Gonzenbach foi uma folclorista suíça, ativa em Messina, que recolheu os contos de fadas em uma série de dialetos europeus.

Thomas Frederick Crane era um folclorista americano, acadêmico e advogado.

Ernst Ludwig Rochholz foi historiador e folclorista alemão.

Alexandre Pushkin foi um romancista e poeta russo da era romântica que é considerado por muitos como o maior poeta russo e fundador da moderna literatura russa.

Alexandre Callari graduou-se em Letras. É escritor, tradutor, palestrante e aficionado por cinema e quadrinhos. No passado, também trabalhou com música e artes marciais.

0 comentários:

Subscribe