01/04/2014

Um Perfeito Cavalheiro

Postado por Liliane Cristine |

Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhce o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica. 

 “Um Perfeito Cavalheiro” é o terceiro livro da série “Os Bridgertons” da autora Julia Quinn que ao escrever esta história foi inspirada em um dos contos de fadas mais populares da Humanidade: Cinderela. E apesar das inúmeras versões, em relação ao livro a inspiração é com toda certeza da história mais conhecida e a mais sonhada pelas meninas, a do autor Charles Perrault.

Apesar do pequeno lampejo da fábula de Cinderela, indiscutivelmente a mesma deu uma nova vida aos seus personagens, proporcionando uma leitura muito agradável e até divertida.

Já comentei dos livros anteriores como a autora consegue desenvolver diálogos interessantes com sua habitual sagacidade. Neste livro não foi diferente! Os mesmos elementos vistos nos livros anteriores o leitor irá encontrar nesta história também. E apesar da história ter certa similaridade com Cinderela, o livro para mim foi em nenhum momento maçante ou com aquele sentimento de “déjà vu” devido justamente à autora ter a sua própria forma de escrever e desenvolver, além do modo em que os eventos se desenrolaram e foram passados. 

Poderia dizer que “Um Perfeito Cavalheiro” tem apenas uma pitada de magia que faz lembrar Cinderela, mas com uma suficiente distinção para que não houvesse uma sensação de repetição e principalmente uma previsibilidade do enredo. 

Somente no início da história dava essa pequena lembrança, mas a forma como Julia Quinn desenvolveu a história, logo me fez esquecer qualquer conto de fadas me concentrando apenas na criação da autora. Onde a mesma oferece ao leitor uma camada adicional para o enredo, tornando a história ainda muito mais divertida e comovente.

Em suma, sou fã desta autora e vou continuar lendo essa saga! E quem além de se encantar com tantos romances maravilhosos em seus livros não quer descobrir a verdadeira identidade da colunista de fofocas mais famosa de Londres “Lady Whistledown”? 

Portanto, vamos seguir suas próximas leituras...

0 comentários:

Subscribe