Confissões de um turista profissional fala sobre quem gosta de viajar, e viaja mesmo (isto é, não faz turismo pra inglês ver), sente uma vontade danada de falar a verdade sobre os lugares que visitou. Coisas como: vale a pena todo aquele trabalho no Louvre para não ver a Monalisa? Existe algum lugar mais insalubre do que uma barraca de praia no Nordeste? Ou ainda: por que o Brasil precisa de mais uma obra de Oscar Niemeyer, o veterano arquiteto que deixa um rastro de concreto aonde quer que vá? Mas falar essas coisas é, no mínimo, tornar-se um chato. Pois Jota Pinto Fernandes, alter ego de Kiko Nogueira, é o chato que vive em cada viajante. Corajoso e desbocado o suficiente para dizer o que as agências e seu amigo que acabou de chegar de Nova York nunca falarão. Escrito pelo ex-diretor da revista Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas, da Editora Abril, Confissões de um Turista Profissional é uma leitura para quem quer olhar as lindas fotinhos no celular, na volta daquele pacote inesquecível, e pensar: “;E não é que era isso mesmo...?”

Confissões de um turista profissional é um livro que retrata muitas experiências que são omitidas pelos viajantes de modo a exaltar o glamour de viajar, mas em alguns pontos ele é exagerado, pois cada localidade tem sua realidade e é isso que faz a viagem ser interessante. Aqui o Jota Pinto Fernandes nos conta um pouco de suas experiências e indignação sobre o investimento desenfreado no turismo, que não somente gera desigualdade, mas também incentiva atos que deterioram a imagem do lugar visitado.


A leitura foi esclarecedora quanto a viagens a outros países, pois quando viajamos pelo Brasil ou vizinhos temos a impressão de que nosso país é o melhor, pois nos outros a moeda é desvalorizada e as regras são seguidas no modelo político atual. Quando falamos de países estrangeiros desenvolvidos, as regras podem ser tão rígidas que não te deixam se sentir em casa.

A melhor dica do livro, na minha opinião é comprar e comer um fast food nas viagens, pois se você realmente viajou vai saber do que estou falando. Lugares distintos têm pratos exóticos mesmo naquele fast food que você tradicionalmente come e uma loja pode mudar o seu conceito de compras, ainda mais se os produtos são produzidos no país.

Em suma, para quem quer viajar tem uma boa gama de conselhos a se seguir ou não, já para quem viaja sempre é bom trocar uma opinião, e ler nos ajuda a formar a nossa.

0 comentários:

Subscribe