O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

Para quem como eu gosta de contos celtas e de romances, esta é sem dúvida uma excelente escolha. A Filha da Floresta da autora Juliet Marillier é a primeira história da trilogia Sevenwaters, que é narrada no coração da velha Irlanda. Ao longo das páginas, a autora apresenta o mundo de Sorcha, a filha da floresta ou como a própria autora a descreve _ a sétima filha de um sétimo filho. Sorcha com o seu soturno pai Lorde Colum e seus seis amados irmãos, vivem em Sevenwaters, em uma casa perto de um grande lago onde vão desaguar sete riachos numa floresta da Irlanda e onde habitam as criaturas encantadas...

Após ter dado à luz, Niamh a mãe de Sorcha morre e ela fica com os seus seis irmãos: Conor um aspirante e promissor Druida, Liam que era o mais velho e já um líder, Padriac um aventureiro, Diarmid e Comarck dois verdadeiros guerreiros e Finbar que além de ter o dom da premonição, falava com sua irmã através do pensamento.

No desenrolar da história Sorcha desempenha um papel fundamental na libertação dos seus seis irmãos. Para isso, a personagem principal vê-se obrigada a percorrer um longo e trágico caminho, em que o seu único apoio é precisamente o seu maior inimigo.

Simplesmente maravilhoso!

Ler esse livro para mim foi como estar presente em uma linda história celta, repleta de magias, mistérios, batalhas e amor. Druidas, criaturas encantadas, rituais celtas e um grande misticismo são alguns dos ingredientes que vocês irão encontrar. O enredo é demasiado cativante e imprevisível! As lendas celtas narrados por alguns personagens também são uma de suas características especiais.

Além da história quero também enfatizar o capricho e zelo da Editora Butterfly em relação à capa (cenário e figura conforme o contexto do livro), diagramação do livro e acabamento. Tudo muito bem feito!

Em suma, para quem aprecia livros de fantasia, romance, pitada de suspense e muita cultura celta, irá amar o livro! Esse livro é um dos meus favoritos e estará sempre em destaque em minha estante para reler muitas vezes.

Em breve minhas impressões a respeito do segundo livro da série “O Filho das Sombras”...

Até lá!

1 comentários:

Débora Lauton disse...

Sou doida para ler esse livro... agora fiquei com ainda mais vontade!!
Saudades, Lili!!

Subscribe