11/06/2013

O Que Você Quiser

Postado por Liliane Cristine |

O trabalho temporário de Lucy Delacourt não é o emprego dos sonhos, mas paga suas contas. O momento alto de seu dia é andar de elevador com um atraente desconhecido. Tudo muda no dia em que o desconhecido a seduz. Completamente fora de si, ela se entrega sem nenhuma resistência, mas não imagina que aqueles momentos de delírio com um homem que ela nem sabe o nome irão mudar sua vida para sempre. Isso porque o rapaz sexy é ninguém menos do que Jeremiah Hamilton, um bilionário executivo que não se contenta com uma noite para satisfazer seu prazer. Conforme o endinheirado envolve Lucy em seu mundo de ambiciosos negócios e audaciosas aquisições, ele exige nada menos que sua total rendição.

Primeiro livro que leio desta autora e pode parecer piada, mas eu não imaginava que "O que você quiser" trouxesse a temática BDSM. Alguém sabia ?

Sinceramente me senti enganada, já que nem pela sinopse e a capa do livro exibindo uma pena (que a meu ver mostra algo leve e delicado) não contempla o tema. “50 tons de cinza” para mim foi o bastante, isso que ainda nem consegui ler o terceiro livro da série...

Mas, discorrendo um pouco sobre o livro da Sara Fawkes, o que posso dizer que para quem gosta do estilo irá provavelmente gostar do livro. Todos os elementos do “50 tons de cinza” estão presentes neste livro.

A sinopse descreve exatamente o que os primeiros capítulos contemplam. Uma mocinha um tanto ingênua que sempre ao pegar o elevador com um homem misterioso fica sonhando acordada e desejando que aquele homem faça as maiores loucuras sexuais com ela, até que do nada, o seu sonho se realiza e o dito cujo tira proveito dela no elevador com apenas duas palavras trocadas... Para mim sinceramente me pareceu uma cena de estupro, fiquei chocada com a audácia do cara e principalmente a protagonista deixar e gostar de tudo aquilo. Achei totalmente irreal...

Para não dizer que não gostei de nada, só comecei a me interessar pela história quando o irmão do “homem misterioso” com sua presença marcante e intrigante apareceu em cena. Mesmo assim, quando a história começou a ficar interessante o livro acaba. Também não sabia que o livro tinha continuação...

Em suma, espero que o comentário a seguir seja visto como uma crítica construtiva...

Sinceramente acho que as editoras precisam tomar mais cuidado com o tipo de conteúdo que o livro apresenta, principalmente quando se trata de BDSM. Muito necessário estar bem claro que se trata desta temática, já que nem todo mundo gosta e menores de idade podem ler e achar tudo aquilo muito natural...

Se alguém já leu e quiser compartilhar a sua opinião, será muito bem vinda ;)

1 comentários:

Thaís Gisele (Sweet-Lemmon) disse...

Eu tenho esse livro mas ainda não li. Acho que sempre soube que era um romance erótico. Não sei se por algum comentário na web ou quê. Mas eu tenho essa "mania" , vamos dizer assim, de sempre pesquisar antes sobre um livro no Good Reads (tenho até o app no celular) antes de ler. Posso até chegar a ler um assunto que não me interesse tanto mas sei que será por minha conta e risco. Sem contar que do jeito que as editoras brasileiras são, não quero correr o risco de acabar lendo o vigésimo de uma série.

Concordo com você à respeito de uma "sinalização" nos livros. Os livros da Leya e da Paralela veem com os dizeres "conteúdo adulto". Eu gosto de pesquisar antes mas ninguém é obrigado a fazer isso. E acho que não só em relação à sexo mas à violência também.



bjs!

Subscribe