25/04/2013

Tudo Pode Mudar

Postado por Liliane Cristine |

Zack é o mais velho dos três filhos da família King, despedaçada quando o pai, o excêntrico e irresponsável Norm, sumiu da vida de todos. Durante os anos seguintes, Zack moldou sua personalidade para que jamais se parecesse com ele. Assim, se tornou um homem pacato e conservador. Ele tinha consciência de que se acomodara a uma situação conveniente: morava de favor na casa de um amigo rico, tinha um emprego medíocre mas estável e estava noivo de uma mulher por quem não era apaixonado. Apesar disso, sentia-se relativamente feliz com sua vida. Certo dia, Zack encontra sangue em sua urina e, após realizar alguns exames, passa a suspeitar de que sofre de câncer. Atordoado com a possibilidade da morte iminente e assustado com o casamento que se aproxima, ele começa a questionar suas escolhas e a perceber a fragilidade daquela vida falsamente estruturada. Para complicar ainda mais a situação, sua relação com Tamara – viúva de seu melhor amigo – adquire uma proximidade perigosa. A atração entre os dois é irresistível e, ao mesmo tempo, proibida. Sua confusão emocional atinge o auge quando Norm reaparece, disposto a fazer qualquer loucura para conquistar o perdão da família. Enfrentando tantos problemas ao mesmo tempo, Zack perde o controle de suas emoções pela primeira vez. Ele precisa lidar com a possibilidade de ter uma doença fatal, o medo de magoar Hope, a paixão platônica por Tamara, a sensação de fracasso profissional e os sentimentos conflitantes em relação ao pai e a si mesmo. Com muito humor e sensibilidade, Jonathan Tropper conta uma história de amor, traição, perdão, recomeço e a chance de se criar uma vida nova em meio ao caos.


“Tudo pode mudar”  é uma história narrada pelo ponto de vista do personagem principal_ Zack. Um homem comum, com trinta e dois anos de idade, prestes a se casar, com emprego estável, morando com seu melhor amigo num apartamento luxuoso da cidade. Até então, ele parecia ter uma vida tranquila e tudo conforme os planos. Porém, ele descobre que pode estar com uma doença grave e toda a sua vida aparentemente perfeita, vira do avesso.

O primeiro ponto que me chamou bastante a atenção no livro foi exatamente os personagens serem tão realistas. Pessoas como nós que no decorrer da vida passam por mudanças, tomando decisões boas e outras más, nos levando às vezes as soluções e outras às consequências de nossas decisões.

O segundo ponto foi a honestidade do autor em descrever seus personagens, de forma crua  e muitas vezes depreciativa (como seres humanos imperfeitos, achei bastante realista). A sua escrita pode ser considerada uma coerção meio dolorosa e afetada, mas é firmemente honesta e verdadeira.

O autor Jonathan Tropper escreve bem, neste livro desenhou personagens interessantes, oferecendo muitas reviravoltas, e mantendo a sua história em movimento. 

Em suma, quase tudo funcionou bem, exceto o caminho que o autor tomou perto do fim e até o final do livro... Tenho a sensação de que Tropper começou a escrever sem ter um final em mente ou ele mudou de ideia sobre o final que planejou. O fechamento não foi satisfatório. A  introdução de um novo personagem quase no final e, em seguida, já contemplando o seu “felizes para sempre”, discorrendo um monte de mudanças significativas e transformadoras  na vida de Zack em apenas algumas páginas, não convenceu. Uma pena, mas excetuando este detalhe o romance é muito interessante e verdadeiro.


0 comentários:

Subscribe