30/09/2012

@mor

Postado por Liliane Cristine |

Sinopse:

Num e-mail enviado por engano, começa um relacionamento virtual que testa as convicções de Leo Leike e Emmi Rothner. Leo Leike, ainda digerindo o fracasso de seu último relacionamento, responde de forma espirituosa a duas mensagens enviadas por engano por Emmi Rothner, casada. Inicialmente, ela só queria cancelar uma assinatura de revista. Depois, inclui Leo por engano entre os destinatários de um e-mail de boas festas. Na terceira troca de e-mails, o mal-entendido dá lugar à atração mútua, reforçada pelo fato de um nunca ter visto o outro. Nada como a curiosidade instigada por frases bem encadeadas chegando a intervalos regulares numa caixa postal eletrônica para que os dois se esqueçam dos possíveis impedimentos. A cada dia, Leo e Emmi se sentem mais impelidos a marcarem um encontro. Após trocas contínuas de mensagens, está claro para ambos que o marido dela e as feridas emocionais dele não serão obstáculos para que marquem um encontro. O único obstáculo real é a insegurança de ambos quanto à transformação da fantasia em realidade. A expectativa é uma faca de dois gumes e a realidade pode não estar à altura. A tradição dos romances epistolares, compostos exclusivamente de trocas de cartas, é antiga na literatura ocidental. O primeiro livro com estas características, o espanhol Prisão de amor, de Diego de San Pedro, data de 1485. No século 18, o gênero se tornou popular, com clássicos como Ligações perigosas, de Choderlos de Laclos, Clarissa, de Samuel Richardson, e O sofrimento do jovem Werther, de Johann Wolfgang von Goethe. O austríaco Daniel Glattauer dá nova vida à tradição epistolar em @mor, primeiro de dois romances que exploram um relacionamento sustentado basicamente em trocas de e-mails. Romance de estreia de Glattauer e campeão de vendas na Alemanha e na Espanha, o livro explora, sob roupagem moderna, sentimentos familiares a amantes de todas as gerações.


Esse livro foi indicação de uma amiga querida que quando o vi na vitrine de uma loja, comecei a ler na mesma hora e acabei adquirindo-o pela forma simples e tão direta do autor Daniel Glattauer tem em escrever.

O livro é todinho feito através de e-mails. Para mim isso já não é novidade, lembro-me de ter lido um livro assim e até um por cartas e chats da autora Cecelia Ahern, mas o que mais me prendeu na leitura foi a forma como os dois protagonistas se conheceram e a curiosidade de como tudo aquilo iria terminar.

Relacionamentos virtuais já não é novidade, nos dias de hoje com o acesso a internet tão globalizada, acho até muito arriscado... Uns 10 anos atrás era muito mais seguro e acontecia com mais naturalidade, hoje acredito que pela facilidade e rapidez de encontrar companhia acabou estragando um pouco o romantismo que se tinha a esse tipo de relacionamento. Mas, em se tratando do livro, a forma como os protagonistas se conheceram via internet é que me chamou a atenção: Não foi proposital, num  chat de bate-papo, por exemplo, foi através de um e-mail errado e uma resposta educada dizendo que o e-mail direcionado foi mandado para o destinatário errado é que me deixou muito empolgada e curiosa com o que poderia ali acontecer. E o autor não decepciona, narra com muita fluidez e intensidade a história de duas pessoas que acabam se apaixonando e criando uma fantasia sobre o outro, o que é totalmente normal mediante a circunstância... Imagina ficar um ano se correspondendo quase que diariamente com uma pessoa muito interessante? Não tem como não criar expectativas, fantasias a respeito de quem é atrás daquelas palavras...

Eu simplesmente adorei a leitura e fiquei muito surpresa com o final, totalmente inesperado, até de certa forma agoniante. Mas, apenas uma palavra no final me fez respirar fundo e novamente normal:

CONTINUA...

 Se não tivesse essa palavra eu juro que mandaria uma carta ou e-mail para o autor pedindo satisfações! rs

Agora, o jeito é aguardar o próximo livro! O que me deixa também frustrada, já que esse é o terceiro livro consecutivo que leio com continuação! Parece que a receita de séries, sagas, trilogias  e afins está mexendo com os interesses lucrativos das editoras, mas o que se pode fazer? Resta-nos aguardar e nós pobres leitores ávidos por bons livros se submeter a isso... 

6 comentários:

Vivi disse...

Bom vê-la retornando aos bons vícios...rs
Voltar a ler uma resenha sua e apreender um pouco do seu olhar de leitora fez-me mais feliz hoje. Confio no seu julgamento e, desde já, estou louca para ler esse livro. Beijocas!

Lili disse...

Obrigada amiga! Estou feliz em estar voltando, mesmo que devagarzinho.

Saudade de suas resenhas amiga... Adoraria saber o que está lendo, vendo e até ouvindo de bom... Vc sempre tem muitas coisas interessantes para compartilhar. Se tiver um cantinho galando sobre isso me manda o link!!! rs
Beijossss

Débora Lauton disse...

Oi Lili...


Poxa, não tinha me interessado por esse livro... li o da Cecelia Ahern e preciso confessar que pulei uns pedaços, achei muito chato!! Será que eu iria gostar mais desse??
Agora apesar de todos os seus elogios, uma coisa que me desmotivou foi saber que tem continuação... também ando cansada disso... pulo de alegria quando leio um livro individual...rss


beijos,

Lili disse...

Oi Dé! Muito pertinente o seu comentário, acho que se vc não gostou do livro da Cecelia Ahern não vai gostar desse... Me desmotivou a continuação, mas o final se fosse daquele jeito iria odiar o livro! rs Então, melhor ter continuação, a questão é a espera =/ Obrigada pela visita :) bjssss

Vivi disse...

Lili, com relação a música que postei no blog, coloquei outra opção de player. Se testar e não der certo, me avise. Beijocas e obrigada!

Kézia Lôbo disse...

Ahh eu ainda não tenho interesse por esse livro, sei la não me chama mesmo a atenção... Oo

Subscribe