18/01/2012

"Eu sou a mosca que pousou em sua SOPA"

Postado por Liliane Cristine |

Imagem: http://www.itsagadget.com/

Vocês estão sabendo que está rolando dois projetos de lei antipirataria (SOPA - Stop Online Piracy Act e a PIPA - Protect IP Act) que se forem aprovados, vão radicalizar o uso da internet controlando totalmente a distribuição de qualquer conteúdo online? Vocês até podem me perguntar: “Mas isso já não vem acontecendo?” Não nessas proporções! Desta vez o 'controle antipirataria' vai ser muito maior, já que o projeto conseguiu aliados muito poderosos e estão amparados também pela grandiosa indústria de entretenimento.

O projeto que significa Lei de Combate à Pirataria Online, em português, tem como principal foco censurar completamente sites que disponibilizam conteúdo pirata (sejam eles de música, filmes, vídeos, arquivos e etc) e também para aqueles que simplesmente compartilham links, como nós, por exemplo, blogueiros que nas nossas postagens tanto compartilhamos seja pelo Youtube, Google e etc.

O assunto é extremamente sério e polêmico, pois sabemos que com as novas ferramentas tecnológicas facilitando e atribuindo as mais diversas atividades na vida das pessoas, a pirataria principalmente através da internet abriu as portas para a violação na reprodução ou uso indevido de obras intelectuais legalmente protegidas. O que de fato está totalmente errado!

Mas, será essas leis a solução?

Recomendo antes de voltar ao meu texto vocês verem este vídeo (legendado) que explica com todos os detalhes o que a lei pretende fazer se caso for aprovada, e o que ela de fato poderá causar e mudar em nossas vidas.



video


Sabemos que a era digital vem ocasionando algumas mudanças e novos conceitos em relação à informação e principalmente a cultura mundial. A internet como ferramenta ágil e facilitadora deste processo, vem gerando novos conceitos sobre a nossa economia, sociedade, cultura e um desafio às normas jurídicas, principalmente as que protegem os direitos autorais, já que existe o problema do tema em definir se a internet é de fato um meio de comunicação impresso como as revistas, os jornais, os livros, dentre outros; ou a internet é vista como um veículo de broadcasting, sendo desta forma um veículo sujeito ao controle governamental e com normas regulamentadas de controle. Mas, sabendo que a internet não tem dono e que pertencem as pessoas como um patrimônio público, temos aqui um grande problema em definir normas e leis de algo que é considerado livre e que preza acima de tudo a liberdade de expressão.

Contudo deve ser ressaltado que todas as obras intelectuais cibernéticas, isto é, transcritas em bits, tem como direito as suas obras protegidas da mesma maneira que no mundo físico, o que acaba gerando muita falta de informação ou conhecimento, já que as pessoas ainda não sabem até que ponto a internet de fato é livre.

O que era de direito autoral do mundo físico foi repassado também para o mundo digital, mas acontece que a falta de informação e principalmente a falta de princípios éticos e moral das pessoas ainda vêem a internet como um mundo de possibilidades sem limites, ocasionando assim um pessimismo globalizado.

E com toda essa polêmica, que o tema de fato opera, temos aí duas leis para serem aprovadas com o intento de restringir o que até então poderia ser considerado como um meio livre de exposição de ideias, culturas, criações e etc.

Em suma, apesar de toda essa polêmica e falta de informação, há de se ponderar que a internet ainda é muito recente. Podemos descrevê-la como uma jovem adolescente com seus questionamentos em busca de sua própria identidade, onde somente a experiência e o tempo apresentarão o caminho a ser seguido; e fornecerão as bases jurídicas atualizadas por uma cultura mais nova e justa no que se refere aos direitos autorais.

Mas, para mim definitivamente essas leis americanas que estão para serem aprovadas, não estão operando por uma internet mais justa! E sim por um mundo cada vez menos conectado, que afetará a inovação contínua da tecnologia, que consequentemente poderá gerar perda de empregos, como também a exclusão de novas criações deste; além de acentuar a desvalorização da cultura que gradativamente poderá contribuir com o empobrecimento cultural da humanidade.

E você o que acha de tudo isso?

WordPress adeririu ao blacaute contra SOPA e PIPA

Wikipédia adeririu ao blacaute contra SOPA e PIPA

2 comentários:

Vivi disse...

Pois é, Lili. Esse evento é crucial para que se repense a lei dos Direitos autorais; que, a meu ver, é muito rigida e conservadora. E contrária ao espírito dos tempos. A internet convergiu para mistura de mundos que antes eram separados. O que era antes protegido agora mora dentro de uma aldeia coletiva. E o que a gente faz com isso? Eu me sinto perdida da silva. Muita coisa tem ficado obscura com relação à temática, e o que a gente vê é a cultura de compartilhamento sendo vista como pirataria. É isso, só tenho visto amarras à capacidade de criação em favor de uma minoria privilegiada.

Expressei o que sinto. Na verdade quero me informar mais sobre assunto para elaborar tudo isso na minha cabeça.

Beijocas!

Daniela Tiemi disse...

Gostei do post e faço minhas as palavras da Vivi!

Acho q esta lei for aprovada, ao invés de evoluir iremos retroceder...

Bjo.

Subscribe