07/07/2011

Histórias Íntimas - Sexualidade e Erotismo no Brasil

Postado por Liliane Cristine |

Histórias Intimas da historiadora e autora Mary Del Priori da editora Planeta, apresenta de forma crua e verdadeira como a relação sexual e o erotismo mudou através dos tempos no Brasil. 

Quando vi a sinopse do livro, fiquei muito interessada em saber mais sobre de onde talvez venham os tabus e os preconceitos em relação à sexualidade que permeiam a séculos, passando pela revolução sexual dos anos 60, que a partir daí até os dias de hoje foi criando novos comportamentos sociais, gerando influencias nas questões políticas, econômicas e culturais da humanidade.

Depois da leitura o que posso dizer a vocês é que definitivamente nós somos muito mais felizes hoje! Se você ler esse livro, irá ver o quanto na época tudo era mais difícil. O sexo então era uma tristeza mesmo! Esquece os nossos romances históricos que tanto adoramos com nossos mocinhos tão lindos, higienizados e que fazem das nossas heroínas, as mulheres mais realizadas do mundo! Histórias Intimas não é ficção e definitivamente exclui a fantasia que sempre recriamos quando lemos as nossas histórias favoritas.

E apesar de o livro tratar apenas a Sexualidade e Erotismo no Brasil, sabemos que a sociedade em geral seguia os mesmos modelos de comportamento, tinham os mesmos tabus e era reprimida por qualquer tipo de julgamento social.

Descrevendo um pouco sobre o livro...

Entre os séculos XVI e XVIII a sexualidade e a noção de intimidade no mundo dos homens beiravam ao ridículo. Como éramos atrasados, e sem muita surpresa, manipulados pela igreja católica. Como diz a própria autora no capitulo “O sexo proibido”: As regras da igreja católica pareciam esconder-se sob a cama dos casados, controlando tudo. Pois é, tudo que era considerado “contra a natureza” era proibido. Sabemos que até nos dias de hoje muitas religiões admitem o sexo exclusivamente a procriação, mas antigamente os tabus eram exacerbados... Para exemplificar, podem acreditar que naquela época era proibido a mulher colocar-se por cima do homem, isso contrariava a lei da natureza segundo a igreja e deixava claro que só os homens comandavam.  Bom, estando os homens então sempre no comando, imaginem que negar a ele sua obrigação matrimonial também era visto como pecado, ou seja, não adiantava a mulher dar como desculpa uma dor de cabeça!

Quando o Brasil era a Terra de Santa Cruz, acreditem as mulheres tinham de se enfear, porque seu valor perante a sociedade era medido por seu recato e os homens precisavam dormir de lado, nunca de costas, porque a concentração de calor na região lombar excitava os órgãos sexuais.

Estarrecedor a mentalidade desta época, não?  E isso é só uma pequena amostra do quanto a nossa sociedade, principalmente as mulheres, sofriam e o quanto a concepção do sexo implicava a proibição de tudo o que desse prazer.

O livro pode interessar historiadores, sexólogos, sociólogos e os curiosos de plantão. Nesses dias vi na TV um médico ginecologista dando o seu pitaco sobre o livro, relatando o quanto a antiguidade ainda reflete no comportamento das mulheres nos dias de hoje, principalmente em se tratando do prazer sexual, da masturbação, enfim o quanto a mulher ainda nos dias de hoje não se conhece sexualmente, e o quanto ainda são condicionadas a esconder e a reprimir seus impulsos sexuais.

Apesar disso, sabemos que já é possível encontrar mulheres que vivenciam seus desejos e conhecem seus corpos, mesmo ainda com a resistência de muitos homens... As mulheres estão ganhando cada dia mais espaço, apesar de ainda sofrermos com tabus do tipo “a mulher precisa se dar o respeito” o que na verdade deveria ser “Você deve respeitá-las”, afinal todas as pessoas, independente de sexo e cor, devem ser respeitadas.

Portanto, meus amigos e amigas do NR se amem, fortaleçam sempre a sua auto-estima para assim ter o poder em escolher um parceiro que esteja à altura de seus desejos e mentalidade. Pois, o livro é uma prova de o quanto ainda estamos engatinhando nesse processo, provando que somos ainda vitimas de tabus e julgamentos estereotipados que somente atrasam a nossa liberdade social...

7 comentários:

Lilian disse...

Menina, sabe que eu fiquei morrendo de vontade de ler esse livro assim que eu vi que tinha saído?

Olha, se hoje não é fácil, imagino naquela época, em que tudo era pautado pelas opiniões da Igreja. Deus, como o livre-pensar é difícil! Ainda vai demorar muito pra chegarmos a um ponto mais aceitável.

Gostei da resenha, de verdade! E ainda quero ler! Beijos!

Lili disse...

Oi Lee! Puxa uma honra ter seu comentario aqui! hehehe

Valeu querida e realmente o livro e muito interessante! Tirando um pouco o sentimento de revolta que ele nos remete, nao tem como nao sentir rs Mas, faz parte da nossa historia...

beijos

ALINE T.K.M. disse...

Vi esse livro na Fnac um dia desses e dei uma espiada básica em algumas páginas. Fiquei bastante interessada, já que gosto de assuntos que explorem o comportamento humano através do tempo, as relações sociais, e claro que o sexo permeia tudo isso e tem um papel muito importante na vida de qualquer ser humano.

Gostei muito da escolha desse livro para o post!

Bj,
escrevendoloucamente.blogspot.com

Sweet-Lemmon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sweet-Lemmon disse...

Tenho vontade de ler esse livro desde que vi a entrevista da autora no jô.

Adorei o post!

Bjos!
Thaís
@sweet_lemmon
http://umaconversasobrelivros.blogspot.com

Valdir Luciano disse...

Fiquei curioso agora rsrs

Vou procurar e dar uma lida.

Acessem:

confissoesdeumescritor.blogspot.com

vane disse...

Sou formada em História e gosto muito dos livros da Mary Del Priori, aliás, os livros dela eram quase obrigatórios quando estudei, e isso já tem um tempo. É muito legal você ter citado um livro assim, sendo que ele é mais voltado para um público mais acadêmico.

Ótimo post! Abraços,

Subscribe